#minhaopinião: Casa Palmer – Licópolis

Sabe aquela coisa que a gente gostou tanto que precisa dividir com todo mundo? Essa é a minha relação com Casa Palmer. O primeiro livro da série (Licópolis) foi lançado em 2015, pela Simone Lore e pela Lud Mills, duas autoras brasileira que eu conheço já tem algum tempo. Eu demorei um tempo pra começar a ler o livro, mas agora que eu finalmente comecei (e já terminei o segundo), estou naquela fase “louca para lançar o próximo”.

Bem resumidamente, Casa Palmer se passa em uma Terra em que, há muitos anos atrás, os vampiros viviam junto dos humanos, escondidos por meio de um feitiço. Um dia, esse feitiço cai e começa uma guerra entre humanos e vampiros – que os humanos perdem.

Atualmente, a sociedade é dividida entre três “castas”: os perenni, que são os vampiros; os durari, humanos que decidiram se aliar aos vampiros em troca de claret (sangue vampiro); e os consumeri, humanos que não fizeram o pacto dos durari, e são usados como alimento pelos perenni. Existem ainda alguns humanos que são considerados “rebeldes”, pois se escondem dos perenni e ainda tentam lutar contra eles.

A história do primeiro livro começa na Casa Palmer, uma das mais poderosas Casas dos vampiros, que é controlada pelo Mestre Andrew. Durante uma festa em homenagem Georg Lion (o mais poderoso dos perenni), os membros da Casa Palmer têm uma discussão com um perenni de outra Casa, que é colocado para fora.

Na manhã do dia seguinte, descobrem que vários Lobos da ilha (o animal símbolo da Casa Palmer) foram mortos por veneno – inclusive os filhotes do casal alfa e a beta que cuidava deles. O principal suspeito é o perenni que ocasionou a discussão no meio da festa.

Licópolis é um livro bem curtinho e bem fácil de ler, apesar de que eu achei que faltou um pouco mais de ambientação na história. Conversando com a Simone no facebook depois, ela me comentou que era para o livro ser maior, mas ele estava ficando grande demais, por isso ela e a Lud resolveram dividir a história no meio e lançar dois livros. Isso me deixou com a esperança dos próximos livros terem mais informações sobre a guerra, os rebeldes e a sociedade deles como um todo.

Outra informação interessante: os personagens principais e vários outros da história são gays – como eu disse, o Andrew é casado com o Christian. A slasher/fangirl que há em mim ficou louca com isso.

Por outro lado, eu achei que tem poucas mulheres em papeis centrais da história. Dos personagens que mais aparecem, você tem uma das senhoras de Casa (que é uma mulher trans, o que eu amei) e uma durari, que não aparecem tanto assim. Contudo, ambas trazem algumas questões profundas e muito legais para a história.

De novo, conversando com a Simone, ela comentou que existe, sim, um motivo para isso, então eu estou ansiosa para ler os próximos livros.

Em resumo: Licópolis é um livro sensacional, com uma história muito envolvente, que eu recomendo demais (tem pra comprar aqui e aqui). É o primeiro livro de uma série que promete muito – inclusive uma guerra que parece que vai ser épica!

Um beijo e até a próxima.

Malu Chan

Anúncios

Um comentário sobre “#minhaopinião: Casa Palmer – Licópolis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s